quinta-feira, 30 de junho de 2011

Os 20 personagens mais legais de Samurai X


Hy, dudes! Como vão? Tudo dentro? Então; Samurai X é um dos meus animes/mangás favoritos. Acho que fica em segundo lugar empatando com Street Fighter II Victory (pois é) e só ficando atrás de Saint Seiya mesmo (Aquela merda!! É papo.).
Pra quem não sabe, Rurouni Kenshin (título original) foi um mangá de sucesso publicado em 1995 por Nobuhiro Watsuki, um famoso mangaká japonês. Que foi? Ah, você achou que ele fosse padeiro? He, he. Não, não, amigo. Ele é mangaká mesmo.
O mangá, ambientado no Japão feudal do século dezoito, conta a saga de Kenshin Himura, um ex-retalhador à serviço dos monarquistas que se redime e faz o juramento de nunca mais matar ninguém. A partir de então, o ruivo tampinha vira andarilho (leia: Mendigo vagabundo e pedante.), passando a usar uma espada de lâmina invertida para proteger seus amigos, se metendo em altas aventuras e enfrentando vilões da pesada! (Porra, narrador da Sessão da Tarde!! Esse blog é meu!!)
A obra engloba ação, aventura, humor e fatos históricos reais. Ganhou um anime rapidinho que fez tanto sucesso quanto. Samurai X narra com bastante fidelidade e riqueza de detalhes alguns fatos históricos que ocorreram naquela época, inclusive inserindo alguns personagens que realmente existiram, sem deixar de lado a fantasia, claro.
Pois hoje apresento aqui não os dez, mas os VINTE (Sou guloso. Ui!) personagens mais fodôncios do anime! Na minha opinião, claro. Ou seja, se sinta livre para discondar e balança a cabeça pra mim negativamente fazendo “tsc, tsc”. Aliás, é o que você fará, pois ninguém concorda com lista nehuma. Listas foram feitas para serem questionadas e criticadas. Eu mesmo posso não concordar com essa aqui que eu mesmo fiz amanhã quando acordar (cinco horas da tarde, com ajuda dos bombeiros).
Agora CHEGA desse papo todo e vamos ao que interessa, chê!!

20° lugar: Misao


Pirralhinha membro na Oniwabanshuu (mais por insistência do que por maioria de votos), Misao apareceu na história quando Nobuhiro Watsuki achou que sua obra estava ficando sombria demais, pois foi no momento em que Kenshin se digiria solitáriamente para Kyoto para enfrentar Shishio sem o alívio cômico de Kaoru e Yahiko. Misao foi treinada por Hannya nas artes marciais, e é platônicamente apaixonada por Aoshi, doidinha para convencer o cara de que pedofilia pode ser uma coisa legal. Há suspeitas de que seja ancestral de qualquer otaku estérica ou de adolescentes retardadas fãs do Luan Santana.

19° lugar: Jin-E Udou


É um lunático dos infernos. O primeiro vilão da série realmente à altura de Kenshin (metaforicamente falando, claro) é, assim como o herói, um ex-retalhador do fim do shogunato. Watsuke construiu esse personagem com o intuito de que ele fosse o oposto do Kenshin: Um psicopada sádico e sedento por sangue que, com o fim da guerra, procura motivos para matar. Tem o “poder” de paralizar suas vítimas só com o olhar.
Jin-E acabou sequestrando Kaoru para despertar a fúria de Kenshin, fazendo assim com que o antigo retalhador despertasse dentro do andarilho e o enfrenta-se em um combate.
O visual deste personagem foi  inspirado no Gambit dos X-Men. Faz sentido.

18° lugar: Shogo Amakusa


Após a Saga de Kyoto, o anime nunca mais foi o mesmo. Isso porque tomou um rumo totalmente diferente do mangá, abandonando a excelente saga Jinchuu. Mas, apesar de menosprezada, essa fase da série tem seus méritos. A Saga dos Cristão é um deles. Shogo domina "apenas" a técnica Hiten Mitsurugi, a mesma do Kenshin. É um cristão renegado e rancoroso que quer se vingar do governo Meiji pelo sofrimento de seu povo. É tido como um messias por uma grande legião. Ancestral do Inri Cristo. Não é exatamente um cara ruim, mas age com base na ignorância, retalhando primeiro e perguntando depois. Deixa Kenshin cego por uns tempos, mas após ser derrotado por este, percebe que estava agindo de maneira errada e parte com seu povo para a Holanda, onde tentará dar uma boa vida à eles, cristanizar mais pessoas e manter as crianças longe da maconha. Holanda, como eu disse.

17° lugar: Usui – O Espada Cega


Conhecido como “O membro da Juppongatana que Shishio mais teme”, Usui é um personagem perverso e sem escrúpulos. Na época do Shogunato foi derrotado por Shishio que, não lembro por que caralhos o deixou viver, mas o cegou bonito. Quando ficou cego, Usui percebeu sua ultra-capacidade auditiva. Ancestral do Matt Murdock, só pode! Se une à Juppongatana, grupo de elite de assassinos de Shishio, com a condição de ter o direito de matá-lo assim que o chefão abrir uma brecha.
Usui teve seu fim nas mãos de Saitou. Se você só viu o anime, dê uma olhada no mangá que a morte dele é uber-violenta!
A inspiração para a aparencia do personagem é do Tao Paipai de Dragon Ball e seu traje é inspirado no Matariel, o nono anjo do Mangá Evangelion.

16° lugar: Anji – O Deus da Destruíção


Anji é um dos membros mais fortes da Juppongatana. Outrora um monje franzino e pacífico, teve seu templo incendiado com as crianças que cuidava dentro dele. Chocado com isso, Anji se torna um sujeito destruitivo e altamente anabolizado (ancestral do Ryu do Street Fighter), que carrega uma ideologia calcada na destruição do mundo para uma possível renovação do mesmo.
A história de Anji é tão trágica que faz com que o entendamos perfeitamente, mesmo sem lhe dar razão. Após lutar contra Sano, o bombadão reflete sobre sua vida e volta para o lado branco da força. Watsuki queria reaproveitar o personagem na Saga de Hokaido, que acabou não acontecendo.

15° lugar: Tomoe


Tomoe é uma grande peça-chave na história de Kenshin. Foi casada com ele no confuso final do Shogunato. É uma personagem introspectiva e de poucas palavras, mas bastante dócil.
Apesar de ter sido um casamento de fachada, os dois passaram a realmente se gostar. Do começo ao fim, este relacionamente foi marcado por tragédias. Antes de conhecê-la, Kenshin matou seu noivo, e depois de casados acabou matando a própria por acidente. Foi a partir daí que o então retalhador decidiu que iria tentar criar um futuro melhor sem matar absolutamente ninguém, usando sua espada apenas em posição de defesa.
O desenho de Tomoe foi inspirado em Rei Aianami, também de Evangelion.

14° lugar: Gein


Esse cidadão só aparece no mangá, pois pertence à saga da Justiça dos Homens/Jinchuu, exclusiva dos quadrinhos. Sujeito misterioso, sempre usando uma mascara para ocultar sua verdadeira identidade. Braço direito de Enishi, é descendente de uma antigas "raça" de artistas medievais que cria marionetes gigantes com restos de cadáveres para fins bélicos. E isso lá no século 18!! O que torna o personagem mais não-realista que o PCC no Domingo Legal.
Gein foi inspirado no serial killer da vida real Ed Gein, que matava e arrancava a pele de suas vítimas e confeccionava roupas com elas! E você achando a Cruela Cruel extrema, heim! (Bom, na verdade ela era mesmo)

13° lugar: Misanagi


Já essa daqui só aparece no anime e pertence à Saga dos Cavaleiros Negros/Clã Sanada, que acho a melhor saga exclusíva da versão animada junto com a saga dos Cristãos (se após a Saga de Kyoto só tivessem essas duas sagas no anime e nada daquelas outras bobagens, nossas vidas seriam melhores).
Misanagi é uma ninja. UMA NINJA! Líder do Clã Sanada, trai seu grupo e se une aos Cavaleiros Negros (Não esses que vocês estão pensando. Os do Samurai X mesmo) para juntos dominarem o mundo e tocarem o terror na porra toda. ÓÓÓ!!!
Na minha opinião, Misanagi é a personagem mais cuti cuti-xuxuzino-docinho de coco da história, mesmo sendo uma vadia egoísta e ordinária de vez em quando, mas quem liga pra isso, não é mesmo?
No final da saga, engata um affair com Mel Therz, um principezinho muito do seu afrescalhado.
                                                                        
12° lugar: Houji Sadojima – O Cenhecimento ilimitado


O braço direito de Shishio na Juppongatana, Houji não está na linha de frente nas batalhas, mas arquiteta todos os planos e é o cara de maior confiança de Shishio. Tem um papel de grande importância no final da Saga de Kyoto. Watsuki o criou por gostar muito da idéia de “o número 2 da organização”. Também gosto muito desse tipo de personagem.

Dotado de grande inteligência, Houji está sempre histérico, nervoso e odeia mulheres, o que nos faz pensar que ele morreu virgem, mesmo tendo uns quarenta anos. Talvez seja ancestal do Steve Carel em O Virgem de Quarenta Anos, embora eu não faça idéia de como essa galera consiga ter se reproduzido.

11° lugar: Hannya


Hannya é um ninja. UM NINJA! O membro mais forte da Oniwabanshuu depois de Aoshi, é um espião especializado em disfarces que desfigurou o próprio rosto de forma que isso facilitasse seu trabalho. Também tem uma uma técnica na qual aplica ilusão de ótica em seus inimigos, usando umas listras tatuadas em seus braços para fazê-los parecerem maiores e confundir o adversário.
Hannya treinou Misao nas artes marciais e morreu autruísticamente salvando seu mestre Aoshi.
Sugiro o mangá se você quer conhecer realmentre a essência do personagem, pois no anime tanto sua história quando seu rosto por trás da mascara foram ocultados. Aliás, essa saga toda da Oniwabanshuu ficou capenga no anime, aff!

10° lugar: Hajime Saitou


O típico personagem durão e de poucos amigos de anime. Saitou é o equivalente ao Hiei de Yu Yu Hakusho, ao Vegeta de DBZ e ao IKki de Cavaleiros, só pra citar uns mais famosos. É um dos personagens adaptados da vida real por Watasuki. Era capitão da 3ª divisão do Shisengumi na batalha do final do Shogunato. Após a porra toda, mudou de nome para Gorou Fugita e virou oficial da polícia, embora sempre quizesse lutar contra Kenshin, seu antigo inimigo na época da guerra.
Saitou tem a habilidade de fazer com que todos os seus adversários pareçam losers fracotões quando lutam contra ele, que nunca perde a pose de desdém e não larga o cigarro nem quando está lutando! Tem umas franginhas estranhas que geram a suspeita de que seja um ancestral distante e másculo do Cebolinha.

9° lugar: Yahiko


... De uma família de ex-samurais de Tokio, como ele adora ser chamado, não sei porque diabos. Yahiko perdeu seus pais prematuramente e passou a viver como trombadinha a mando de uma gangue que disse ao garoto que sua família tinha uma dívida eterna com eles. Tudo papo furado só pra abusarem do menino. Após um encontro com Kenshin e Kaoru, o bastardinho passou a viver com eles sendo discípulo da moça no dojo Kamiya. Kaoru treina o menino na maior boa vontade, mesmo este lhe avacalhando toda hora e não pagando mensalidade nenhuma. Por quê? Por quê? POR QUÊ? Sei lá, bicho.
O sonho de Yahiko é um dia ser um homem forte como Kenshim. Watsuki o criou para ser um sinal de esperança e pureza em sua obra.


8° lugar: Enishi Yukishiro


Esse deu trabalho, put a keep are you! O chefão da saga da Justiça dos Homens/Jinchuu originalmente era o irmão caçula de Tomoe. Viu sua maninha ser assassinada por Kenshin e deciciu vingar-se do errante, mas não antes de ter uma infância miserável na qual foi obrigado a comer restos mortais até de seres humanos para sobreviver (Hebe Camargo: “Baaarrbaro”)! Mas não tenham dó dele, crianças! Enishi é coisa ruim desde pivete, e matou uma família que o adotou por pura falta de sacanagem.
Após adulto, cria a Irmandade dos Seis, junto com mais cinco homens que, por um motivo ou outro, querem também se vingar de Kenshin. A intenção do rapaz é atingir o andarilho em seu ponto mais fraco: Kaoru.
Enishi é tão obcecado por sua vingança que tem alucinações com o “espírito” de sua irmã, e possui uma técnica de luta bizarra baseada no rancor que sente.



7° lugar: Sanosuke Sagara


O bom-vivant da história. Sano é folgado, caloteiro e meio burro. Boatos de que seja ancestral distante do Agostinho d'A Grande Família. E juro que só botei essa foto dele pelado na banheira porque foi a primeira que achei e tava com preguiça de procurar mais!
Se juntou ao grupo Sekihoutai aos sete anos. Eternamente rancoroso com o governo por ter exterminado injustamente seu grupo e seu líder Souzou Sagara, o rapaz vira lutador de aluguel. Abandona essa vida após conhecer Kenshin, Kaoru e Yahiko, passando a conviver com eles e ajudá-los em suas altas aventuras... (Ughh!!! O narrador da Sessão da Tarde tá me possuindo! Eu tô dizendo!!).
É o melhor amigo de Kenshin.

6° lugar: Kaoru


Ainda quero entender como caralhos essa moça consegue tocar um dojo com um aluno só! Mestra do estilo Kamiya Kashin, a donzela da história treina Yahiko e acolhe Kenshin em seu dojo, se apaixonando pelo rapaz. No fim do mangá, ambos tem um filho, embora eu não os consiga imaginar transando de jeito nenhum (e olha que eu sou terrível, menino!).
Kaoru e Kenshin tem uma química incrível e formam um dos casais mais adoráveis e queridos dos mangás, embora nunca tenham sido vistos se beijando. A cena em que o andarinho se despede da garota e parte para Kyoto é uma das mais emocionantes da dramaturgia universal, capaz de emocionar qualquer um.  Até mesmo eu se ainda fosse provido de sentimentos humanos...


5° lugar: Aoshi Shinomori


Outro que deu um trabalho dos diabos. Sujeito sério, introspectivo e vingativo. É mais fácil ver o Amaury Junior entrevistando pobre do que ver Aoshi sorrindo. O grande amor de Misao e líder da Oniwabanshuu andou fazendo algumas besteiras e viu seus discipulos mais fiéis sendo mortos por Kanryo Takeda. A partir de então fica obcecado pela idéia de derrotar Kenshin para receber o título de “O mais forte” e honrar a morte de seus companheiros. Usa duas espadas médias (kodachis) em combate.
Se redime e passa para o lado de Kenshin no final da Saga de Kyoto.
Lá pro fim do anime tem umas cenas bem gays em que ensina Kenshin à meditar.

4° lugar: Seijuurou Hiko


O grande curinga e badass-mutherfucker da história. Hiko é mestre de Kenshin, o que automaticamente o torna o personagem mais forte de Samurai X. Por isso Nobuhiro Watsuki não pôde usá-lo muito no mangá, pra não ofuscar ninguém. Desculpaê!
Também é a a coisa mais próxima que Kenshin teve de uma figura paterna, pois foi quem o criou (à base de muita chinelada e ovo cru, imagino eu).
Hiko é um cara solitário, beberrão, arrogante e com uma auto-confiança absurda.
A capa dele foi baseada no personagem americano Spawn.
Deve ser ancestral de Jack Bauer, Axl Rose, Steve McQueen, Bruno Müller, e qualquer outro badass-mutherfucker que veio depois dele.

3° lugar: Soujirou Seta – O Espada Celestial


Vixi! Esse é doido. Não se deixe enganar por esta dócil aparência: Soujirou é o segundo membro mais forte da Juppongatana - atrás apenas de Shishio – e é um garoto perigosíssimo e totalmente desprovído de emoções. Quando criança, Soujirou vivia levando porrada de sua família adotiva, que ainda o escravizava. Depois de um tempo percebeu que, se escondesse suas emoções lá no fundo, não sentiria o sofrimento. Após um encontro com Shishio, matou friamente seus tutores. Daí pirou na batatinha de vez. 
O único sentimento do menino é o de diversão. Ancestral do Tonho da Lua? Não sei, mas seu semi-autismo o torna um adversário totalmente imprevisível. Claro que após travar uma batalha contra Kenshin o rapaz retoma seus sentimentos e segue seu rumo atrás de sua própria verdade. E percebo que estou dando spoilers demais...

2° lugar: Makoto Shishio


Eu considero o Shishio como um vilão definitivo. Ele possui todas as “qualidades” que um personagem precisa (algumas não necessáriamente) para isso: É um cara feio, elegante, cruel, megalomaníaco, inteligente, forte, tem personalidade, um bom background, um bom argumento, impõe respeito e mete medo.
Shishio foi o retalhador sucessor de Kenshin quando este decidiu virar um andarilho paz-e-amor. Mas no final da guerra, os monarquistas temeram que o vilão abrisse a boca sobre os podres do governo e decidiram se livrar dele, o nocauteando na crocodilagem e ateando fogo em seu corpo. Milagrosamente o camarada sobreviveu, e decidiu virar um ditador com intenções hitlerianas de dominar o Japão.
O tirano tem seu corpo coberto por bandagens por ter 90% do corpo queimado, e não há explicações médicas para que ainda esteja esteja vivo, o que o torna um ancestral de Keith Richards. Um ancestral do mal, claro, já que Richards é um santo.
A batalha contra Kenshin é a mais épica de todas, na qual Shishio entra em auto-combustão por não poder lutar por mais de 15 minutos devido a alta temperatura de seu corpo (ele não transpira), e vai para o inferno junto com Houji e sua amada Yumi.

1° lugar: Kenshin Himura


E falou o homem mais previsível de todos os tempos. Mas é inevitável. Kenshin é um protagonista de histórias de ação atípico: Não tem pose de herói, não é politicamente incorreto (o que virou moda nos “mocinhos” de uns tempos pra cá), é pequeno, franzino e sereno. Fala sério: Se te recomendassem Samurai X e dissessem que o personagem principal é um japonês ruivo, delicado e nanico com uma cicatriz enorme na cara e que, mesmo sendo samurai, não mata nem uma mosca, você se interesaria em ver/ler? QUÊ?? SE INTERESSARIA??? Porra meu, assim você atrapalha meu raciocínio!! Deixa de ser chato!!!
O fato é que o ex-retalhador é um dos personagens mais carismáticos de todos os tempos, sem exageros. Kenshin teve uma origem sofrida: Criança pobre e orfã que foi vendida à mercadores de escravos ainda pequeno e viu as pessoas que o criaram serem brutalmente assassinadas, não tendo outra escolha senão seguir o caminho das lutas e guerras. Perdeu o grande amor de sua vida da maneira mais cruel possível, mas nunca perdeu a esperança na humanidade. Himura é um sonhador, que acredita em uma filosofia utópica onde não seria necessário nenhum sacrifício humano para se resolver as coisas, mesmo em uma época violenta e hipócrita como a era Meiji. Ideologia essa que gera desprezo em outros espadachins, como Saitou e Shishio, mas admiração nos mais inocentes, como em Kaoru e principalmente Yahiko.
Kenshin também é um personagem que alterna momentos de humor, drama e ação maravilhosamente bem e sem parecer forçado, o que não é tão fácil assim em um personagem central.
Para construir o personagem, Watsuki se baseou em um retalhador real chamado Gensai Kawakami, que era igualmente baixinho, de aparência delicada e extremamente abilidoso com a espada.


______________________________________________

Bom, agora chega. CHEGA!! Eu bem que queria colocar a Megumi, o Okina, a Yumi, o Youtarou, a Kamatari (ancestral da Ariadna do Big Brother), mas não dá pra enfiar todo mundo, então assim se encerra este meu humilde top de personagens supimpas desse mangá/anime fodástico. E se você ainda não o leu nem assistiu, pare de ser estúpido e o adquira já!!


Então? gostou da lista?? Achou uma merda?? Comenta aí embaixo. Pode me xingar à vontade, mas pega leve com a minha mãe. Até a próxima!!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Criaturas fantásticas de Ray Harryhausen


Tá aqui um artigo eu queria publicar desde a época do Análise de Cena, mas deixei muitas... oportunidades pra lá por pura preguicinha. Esta semana, contudo, resolvi expremer o máximo de boa vontade e sabedoria einsteiniana de minhas barbas ruivas (que raspei ontem) para vos agraciar a vista com belas criaturas.
Não. Não vou colocar fotos de mulheres bonitas e suculentas aqui hoje. Talvez um dia quando eu perder um pouco mais de auto-respeito.
Digo ‘criaturas’ no sentido mais primitivo-literal-fantasioso da palavra. O ‘belas’ você toma no sentido relativo que quiser, mesmo.

Há muito tempo atrás, bem antes dos efeitos em computação gráfica e bem depois da Hebe Camargo, havia a técnica de animação em stop motion, que consistia em fotografar determinadas imagens estáticas quadro à quadro para, a partir daí, criar uma animação.
Essa técnica está presente no cinema desde os primórdios de sua criação e, apesar da evolução dos efeitos visuais e do advento dos efeitos em CGI, o stop motion nunca ‘saiu de moda’. Prova disso são alguns filmes de sucesso que ainda utilizam tal técnica, como Fuga das Galinhas, O Fantástico Senhor Raposo, James e o Pêssego Gigante, O Estranho Mundo de Jack, Coraline, A Noiva Cadáver, etc. Aliás, com excessão dos dois primeiros citados, todos esses filmes, de uma forma ou de outra, de Tim Burton, que é um grande fã de Ray harryhausen. E não é só ele. Vários grandes nomes do cinema tem no mestre uma grande fonte de inspiração.

Harryhausen não foi o pioneiro, mas foi o cara quem aprimorou e revolucionou o stop motion, tendo se tornado seu maior ícone. Seu nome é até hoje diretamente relacionado à técnica.

À seguir mostrarei uma espécie de portfólio não-autorizado do coroa, com algumas das criaturas cinematográficas desenvolvidas por ele em... Em quê mesmo?... Ah, Sim! Stop motion.

O... Dragão


Ok, esse personagem não tem nome, mas ele é interessante mesmo assim. O dragão presente no filme Simbad e a Princesa (The 7th Voyage of Sinbad - 1958) habita a ilha de Colossus, onde Simbad vai parar de gaiato. O bichão é uma espécie de cachorrinho de Sokurah (não Sakura), um mágico pilantra que pentelha o herói durante o filme todo.
O dragão sem nome não aparece muito tempo na fita, mas protagoniza belas cenas, incluindo a melhor delas quando luta com o monstro Cíclope, de quem falarei mais adiante.
Mas o melhor desse dragão é que ele parece ter tido aulas de como soltar fogo pela boca com o Bowser do primeiro jogo do Mario (esse mesmo que você perguntou):


Ou estaria eu imaginando coisas???

Kraken


O lendário monstro dos mares destruidor de lares (não era pra rimar) dá as caras no ótimo filme Fúria de Titãs, de 1981, e adora destruir uma cidadela aqui e outra ali nas horas de tédio. Principalmente quando seu chefe Poseidon o libera pra gandaia, à mando, por sua vez, de Zeus. “RELEASE THE KRAKEN!!!” É, essa frase tem mais efeito na voz do Lian Neelson.
Admitamos que os Krakens de filmes como o Fúria de Titãs de 2010 e Piratas do Caribe, por exemplo, são muito mais bem desenhados e amedrontadores, mas não tem nem um pouco do charme desta criação em stop motion de Ray, que eu particularmente prefiro de looooonge.

O poderoso Joe


O original dos anos quarenta, não aquela bobagem da Disney. Quando o filme King Kong foi lançado nos cinemas em 1933, Harryhausen tinha apenas 13 anos e ficou absolutamente embasbacado pelo que viu nas telonas. Em casa, o garoto chegou pra mãe e disse “Mãe, quando crescer eu quero ser um criador de monstros gigantes!” No que a mãe respondeu: “Ok, filho. Mas não vá se sujar e volte antes do jantar.”
Mais de dez anos depois, o jovem Ray estava trabalhando no filme Mighty Joe Young com ninguém menos que Willis O’Brien, o criador dos efeitos especiais de King Kong!
Apesar de O’Brien levar os créditos pelos efeitos nesse filme, foi Harryhausen que criou mais de noventa por cento da animação do gorila Joe, já demostrando seu enorme talento na área.
Anotem aí, pessoal: Mighty Joe Young (não sei se tem um título no Brasil) de 1949 é um filme maravilhoso e com conteúdo que merece ser tido muito mais do que como um mero “genérico do King Kong”.
E mais uma vez: Esqueçam o remake feito pela Disney!! ESQUEÇAM!!!

Centauro


O Centauro presente em A Nova Viagem de Simbad (The Golden Voyage of Sinbad – 1974), além de possuir inexplicávelmente um olho só, tem proporções cavalares (obviamente?) e uma incrível pinta de galeroso: Corrente no pescoço, cabelo desgrenhado e um pau na mão. Talvez por isso tenha dado tanto trabalho pra todo mundo no filme, tendo sequestrado a princesa, tentado matar os heróis do filme e entrando no fight até com um Griffon (outro ser mitologico metade leão metade águia).
Esse filme tês várias criaturas legais, como a deusa da mitologia hindú Kali, o Griffon, etc. Mas quer saber qual é a melhor coisa dele??


Mas essa não foi o Harryhausen que fez. Próximo.

O troglodita


Taí um monstro inofensivo. Apesar de parecer durão, o Troglodita é gente fina. É mais feio que a minha avó, mas é gente fina. O ancestral remanescete do ser humano é encontrado por Simbad e sua tripulação na ilha de Hyberbória, e ajuda os aventureiros a encontrarem o templo que fará com que o principe Kassim retome sua forma humana, já que foi transformado em um babuíno pela bruxa Zenobia.
Simbad e o Olho do Tigre, que fecha a trilogia de filmes sobre o marinheiro, não fez tanto sucesso quanto seus dois antecessores, mas eu o considero o melhor dos três.

O Octopus gigante


... Que tem o nome mais mentiroso do mundo, pois tem apenas seis tentáculos e não oito! Limitações orçamentais a gente vê por aqui.

Este foi um dos primeiros trabalhos de Harryhausen e está presente no ótimo filme O Monstro do Mar Revolto (It Came From Beneath the Sea – 1955).
Na película, o molusco gigante é despertado de seu estado de suspensão no fundo do mar por testes com bombas atômicas (algo que acontecia muuuuito no cinema de ficção dos anos 50), e então começa a  causar pavor e destruíção na cidade de São Francisco, enquanto os cientistas procuram descobrir um método para destruí-lo. Filme de grande sucesso dirigido por Robert Gordon.
No dvd duplo desse filme tem uma longa e bem legal entrevista que Tim Burton fez com Harryhausen em sua casa. Vale a pena adquirir.

Caveiras muito doidas



A cenas do surgimento e de lutas do exército de esqueletos do filme Jasão e Os Argonautas, de 1963 (o favorito de Harryhausen), são consideradas até hoje como uma das maiores sequencias cinematográficas do século passado no quesito efeitos visuais.
Os esqueletos brotam do chão para enfrentar Jasão e sua trupe quando o rancoroso rei Eetes da Colóquia semeia o solo com os dentes arrancados de uma Hidra (Outra criatura bem legal, mas que não vou citar aqui porque... porque não).
Se repararmos bem, há uma suposta homenagem aos filmes anteriores de Ray nos esqueletos, pois seus escudos são adornados com outras criaturas do mestre, como o Ymir (falarei mais adiante) e o Octopus (já falei).

Bubo


Bubo é uma adorável coruja de metal mascote do filme Fúria de Titãs. Zeus queria ajudar seu filho Perseo a cumprir sua missão e pensou “Uma coruja deve resolver tudo!”, então ordenou que sua filha Athena enviasse seu pássaro de estimação para orientar o filhão. Mas Athena, sendo uma mãe muito “coruja” (hehe, ai, ai...) manda os ferreiros do Olimpo (é) contruírem uma ave semelhante à sua para Perseo, para assim manter seu pet protegido.
Bubo fica girando a cabeça em 360 e mudando o formato dos olhos, e também faz barulhos engraçados de relógio e brinquedos de corda. Um bicho muito bem bolado!

Rhedosauro


Um dos meus favoritos. O Rhedosauro é um monstro gigante classudo que aterroriza Nova York em O Monstro do Mar (The Creature From 20.000 Fathoms – 1953), um grande clássico B e um dos filmes que começaram a revelar o talento de Harryhausen para o mundo.
Aqui, um  ser jurássico é despertado no Ártico após testes nucleares no local (eu não disse?). A partir daí, o lagartão segue viagem rumo à costa Norte-Americana para fazer uma boquinha por lá.
Apesar de seu baixo orçamento, este filme foi sucesso de bilheteria na época, influenciando muita gente. Querem a maior prova disso??


Pois é. O Rhedosauro foi o grande inspirador para a criação do filme Gojira/Godzilla, logo no ano seguinte. Os japoneses ficaram loucos pela inovadora técnica de stop motion de Harryhausen e decidiram criar seu próprio monstro gigante no mesmo estilo. Porém não acharam ninguém à altura de Ray e tiveram que colocar um homem fantasiado para interpretar o gigantão, mesmo. Acabou ficando legal mesmo assim.

O Cíclope


Monstrão sinistro que aparece no filme Simbad e a Princesa. Os cíclopes são seres que habitam a ilha de Colossus, tem pernas de bode e um olho e um chifre apenas. Violentíssimos, eles roubam tesouros dos visitantes e os guardam em suas cavernas.
Tem uma cena hilária nesse filme, quando um cíclope amarra um marinheiro da tripulação de Simbad em um espeto e começa a fazer churrasquinho do cara vivo, puxando até um banquinho para sentar-se enquanto gira seu futuro alimento perto do fogo!
Outra cena supimpa é a já citada na qual o bichão trava um combate mortal com aquele dragão que mostrei logo no ínicio. Quem leva a melhor na luta??? Huuummmm... Num seeeeeeiiiii...

Moon Bull e Moon Cow


Que significa respectivamente, caso você tenha gazetado essa aula de inglês pra fumar crack (quem nunca?), “Boi da Lua” e “Vaca da Lua” (WTF??). Essa denominação foi dada pelo amalucado cientísta Cavor, que ingenuamente achou que eram herbívoros inofensivos.
Esses insetões gigantes habitam os subterrâneos da Lua, e parecem ser os inimigos naturais dos Selenitas, outra raça de alienígenas meio formigas que também residem no satelite.
Os Primeiros Homens na Lua (de 1964, e baseado na obra de H. G. Wells), apesar de meio retardado, é um filme ótimo e divertido, que não fez tanto sucesso quando lançado e deveria ter seu valor reconhecido.

Talos


Em Jasão e os Argonautas, Talos é uma estátua gigante de bronze que protege o tesouro da ilha de... Bronze, onde Jasão e sua tripulação fazem um pit-stop durante sua jornada à procura do Velo de Ouro, a pele de um cordeiro divíno que tem o poder da cura.
Talos desperta furioso quando dois argonautas malandruchos passam a mão em seu tesouro. O único meio de derrotá-lo é destravando uma “rosca” que fica na parte de trás de seu pé, fazendo jorrar toda sua energia. Sendo seu ponto fraco o calcanhar, ele é meio que uma espécie de Aquiles metálico, gigante e não-gay.
Alguns anos atrás uma revista inglesa (dessas que adoram fazer listas inúteis) elegeu o Talos como o segundo maior monstro gigante do cinema, perdendo apenas pro King Kong. Huuummmmmm.... Ééééééhhhnnnnn....
Exageros à parte, ótima criação também, como não poderia deixar de ser.




E por ultimo mas não menos importante...

... O Ymir!


A criatura favorita da maioria dos fãs de Ray Harryhausen, o Ymir pertence ao filme A 20 Milhões de Milhas da Terra (20 Million Miles to Earth – 1957), um grande clássico do cinema de fantasia onde os produtores possuíam um orçamento mais generoso que o de costume nos quais Ray participara antes, proporcionando maior qualidade ao trabalho. Prova disso é que, além dos efeitos em stop motion na criacão do monstro, o filme também utilizou a técnica Dynamation (não foi o único nesse post), sistema ultra-moderno na época que coloca atores reais contracenando com o monstro sem aquela aparência de falsa sobreposição, deixando o visual perfeito (bem... Mais ou menos, né...).


Ymir é uma criatura de Vênus trazida por acidente na primeira espaçonave à fazer uma espedição ao planeta. No início, o bicho é apenas um monstrinho do tamanho de uma boneca Barbie (que ele não me ouça dizendo isso), mas o ambiente da Terra o faz aumentar de tamanho no decorrer do filme, até que no climax ele já está com proporções dantescas e pronto para destruir o Coliseu!
Existem muitas cenas antológicas nesse filme, como quando Ymir enfrenta um elefante (também feito em stop motion para as cenas de luta) no meio da rua.


Só pra constar, eu deixei de citar muita gente boa aqui, como o Minotauro e os espectros de Simbad e o olho do Tigre, a Medusa de Fúria de Titãs, os animais anabolizados de Mysterious Island e Os Três Mundos de Gulliver, e os dinossauros de The Animal World, dentre outros, mas imagino que você já esteja saturado e nauseado de ver tanto bicho feio, não?? Pois é, eu também. Por isso agora vou passar por uma massagem tailandesa e depois assistir Ciro Bottini no Shoptime com o travesseiro entre as pernas.
E sugiro que você faça EXATAMENTE o mesmo se quiser sair dessa bad trip!

Absssssssssssssssssss

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...