terça-feira, 5 de junho de 2012

As 12 Rockstars mais lindas de Meu Deus



Ressurreição! Pelas minhas contas tô desde janeiro sem postar nada inédito, e pra quem ano passado postava algo novo toda semana isso é tempo pra cacilda. Enfim, andei meio ocupado me dedicando à música e a minha profissão. Mas como sou um péssimo músico, um péssimo designer e um péssimo ser humano, decidi voltar a blogar (daí lembrei que sou um péssimo blogueiro também, agora o jeito é tocar as vida...)
Claro que a desanimação ajudou um pouco minha ausência. Fiz vários esforços para voltar a escrever e desisti no meio / início do caminho. Mas eis que este artigo consegui finalizar! Então o aproveitem, lembrando que essa é uma lista PESSOAL da MINHA PESSOA! Então nada vir dizer coisas do tipo “Isso está errado”, “tal posição deveria estar em tal lugar”, “Bruno, eu sou gay e te quero” etc, etc. Não existe certo e errado em listas pessoais (até porque algumas mulheres aqui podem até nem se encaixar nos padrões mais convencionais de beleza). È bom eu esclarecer isso pois quando fiz uma lista dos 20 personagens mais legais de Cavaleiros do Zodíaco um pessoal faltou me engolir no Orkut (na época ainda rolava). Mas adorarei saber a opinião e as preferências de vocês. Now lets go...

12º lugar – Emma Richardson



Emma é integrante da Band Of Skulls, uma dessa leva de bandas alternativas novinhas inglesas chatas pacarai, cujos integrantes parecem mais um bando de hipsters que usam roupinhas impecáveis, tomam café com chantili de meia em meia hora e não cagam.
Descobri a banda através de um clipe que de vez em quando passava na MTV (You Know What I Am, legalzinho por sinal), mas só me interessei por causa da jovem mesmo. Até peguei o álbum de estréia da banda para dar uma conferida e não achei ruim, só meio fraco.
Mas o que interessa aqui é a Emminha mesmo. Essa rapariga alta pra cacete (and I fucking like big girls!), além de tocar baixo na mencionada banda, onde também canta, tem outros talentos, como ilustradora e artista plástica. Aqui dá pra ver uns trabalhos bem interessantes dela.
E quem diria? Pelo um motivo patético e clássico de ouvir tal banda só porque a integrante é gatinha, acabei me apegando à Emma, dando uma olhada na sua vida pessoal e extra-profissional e descobrindo que, afinal, existe um ser humano dentre os robôs cool do new rock inglês alternativo. Ela é legal! Ela caga!

 




  
11º e 10º lugares - Kim e Kelley Deal



Como são gêmeas não dava pra colocar uma em cima da outra (pensei uma besteira molhada agora) no ranking. Kim é mais conhecida como baixista do Pixies e posteriormente (depois meio que paralelamente) como líder do Breeders, banda na qual sua irmã Kelley era a principal guitarrista. Na verdade a banda era um projeto antigo de ambas, que só alavancou após o sucesso de Kim no Pixies.
De uma beleza, digamos, acidental, porém cativante, Kim e Kelley poderiam até ter passado despercebidas por qualquer playssom em busca de sexo casual com uma loira tetuta e com carência de tutano, mas não aos olhos de um stalker sombrio e solitário com fortes tendências sado-psicóticas como eu. Sortudonas!
Infelizmente ambas envelheceram mal pra caralho e como castigo por essa traquinagem vão ter que dividir a mesma posição aqui.







9º lugar – Donita Sparks


"Massas são Bundas" Essa menina do cabelo amalucado foi uma das pioneiras em matéria de ‘mulheres no grunge’. Sim, Donita – cujo nome já parece uma abreviação carinhosa, então no caso dela não vou nem tentar - foi vocalista de uma das poucas bandas grunge femininas dos anos 90, o L7. E era a mais gata dentre elas, claro.
Donita tinha um jeito típico de uma rockeira punk girl – características logo citadas as quais, inclusive, matem até hoje, depois de véia: Roupas e maquilagem zoadas, cabelos pintando levianamente e uma bela boca suja. Ou seja, GAMEI-VOS!
E apesar do L7 nunca ter feito tanto sucesso quando um Pearl Jam ou Soundgarden da vida, é uma banda a qual vale a pena dar uma olhada no material, interessantíssimo.
Hoje em dia o L7 já era, mas Donita continua na ativa, não só na música como também se envolvendo em várias causas sociais, como direitos humanos, das mulheres, dos ETs e do meu pênis. 



Cosplay da Caipora? "Cratatatatau!"




8º lugar - Simone Simons



PEITOS! É o que o que uma mulher tem que ter pra ser “frontwoman” de uma banda de metal. É, era isso que eu ia dizer.
Nascida nos Países Baixos, Simone com certeza fez muita coisa “subir” por lá (trocadilho medíocre #1). A moça teve uma criação musical desenvolvida desde sua infância, aprendendo, ainda enquanto infante, canto lírico e flauta, dentre outros instrumentos. Juntou-se à banda de metal sinfônico Epica em 2003, à qual pertence até hoje e com a qual já lançou, a despeito da curta trajetória, uma discografia e bem prolífica.
Dona de uma beleza cavalar, essa holandeusa (trocadilho medíocre #2) com certeza mexe com os hormônios de inúmeros headbanguers espinhentos recordistas em espancamento de macaco pelos países onde passa em turnê com sua banda, e figura tranquilamente entre as mais belas e estonteantes ruivas do planeta, como Christina Hendricks, Julianne Moore, Angie Everhart, Nicole Kidman, Jéssica Esteves e Jimmy do Matanza.





7º lugar  - Talita Alves


Minha representante brasileira da lista tinha que ser Talita Alves – que auto-vulga-se Talita Rock – já que a Pitty é feia e chata (e não é algo no sentido “feia, boba e má”. Ela é feia e chata mesmo). Talita é ex-vocalista da banda Motores, cujo material eu só conheço de uma música ou duas e acho meio palha. Tive primeiro contato com a banda através de um reality show que a MTV exibiu a alguns anos chamado Rally MTV, onde bandas de diferentes países da América Latina competiam em corridas de adivinem.  Apesar de ser assumidamente viciado em reality shows (pois é, isso é assunto pra uma próxima rodada), só via esse acidentalmente. Quando bati o olho na moça, logo Talita chamou minha atenção pela sua beleza casual, porém hipnotizante. Daí passei a acompanhá-la meio que de perto desde àquela época, mesmo ela tempo dado uma sumida. Recentemente foi jurada do Raul Gil no seu quadro de calouros musicais, o qual eu passei a assistir só pra ver sua linda carinha na tela (apesar de eu já gostar do quadro faz tempo).
Tatá é uma daquelas magrinhas gostosas (tipo raro), e suas tatuagens só a deixam ainda mais sexy. 
Vejam mais fotos da condenada:





Lá em casa rolava de boa

6º lugar - Anette Olzon


Ok, a galera tira sarro da Anette, dizendo que ela tem uma fronte bizarra, que é irmã gêmea do Esqueleto do He-Man e tal. Como eu sou chegado numa esquisitice, prefiro ver sua face como beleza exótica. Admito que ela tenha a maior cara de bruxa, mas isso é algo que mó me excita em uma mulher (não tenham medo de mim). Anette é vocalista do Nightwish desde 2007, quando entrou para substituir Tarja Turunen, que levou um pé na bunda por ter sido uma menina levada. De origem sueca, Anette deixou muitos fãs com a pulga atrás da orelha ao entrar na banda, pois tinha um estilo vocal totalmente diferente do de Tarja. Admito que a ex vocalista cantava melhor (a voz daquela mulher é perfect!), mas Anette tem me agradado muito também. Fui a um show do Nightwish em 2008 aqui em Manaus e, apesar de alguns pesares, aprovei deverasmente o que vi (e o que ouvi também, a propósito).
E eu aqui falando sobre talento vocal quando o assunto é simplesmente estética feminina. VIU COMO EU NÃO SOU SUPERFICIAL???
Mais Anette:






5º lugar - Joan Jett


Joan não podia faltar. Um dos maiores ícones femininos da história do rock, Joanita ficou sistema-solarmente conhecida por ser uma das integrantes do grupo Runaways e também por seu hit I Love Rock N’ Roll, cover do The Arrows que estourou em sua voz em 1982, quando já estava em carreira solo. Dona de uma beleza terna e enigmática, Joan já fez muita confusão nas estradas da vida, vivendo como uma típica roqueira tresloucada, drogada e baderneira. Pelo menos foi o que eu li por aí (e vi naquele filme tosco).
E taí uma que envelheceu bem pacacete. Hoje Joan é uma coroa enxutona que continua tocando o terror nos palcos e dando um belo caldo. Também deve estar em alguma notinha de alguma edição do Guiness como a pessoa a manter praticamente o mesmo corte de cabelo há mais tempo. Mas se o mudasse, não seria mais Joan.




onshi...


4º lugar - Amy Lee


Sim! A famosa gordinha do Evanescence. Típica “branquinha de cabelo preto“, estereotipo favorito de 9 entre 10 pseudo / true roqueiros adolescentes, e ícone facebookiano em memes de comparação ‘talento roquístico versus vulgaridade funkeira’ (coitada da Valeska), Amy foi uma das minhas primeiras rockers sexo-oníricas (putz!). Tudo bem, eu sempre gostei de Evanescence e continuei gostando mesmo quando deixou de ser modinha, mas vou mentir se disser que eu comprava aquelas revistas sobre a banda cheias de fotos por causa das letras traduzidas.
Amy é tão fodona que foi até inspiração para a criação visual da protagonista do anime Ergo Proxy (recomendo demais!). Bom, não tem mais muito o que dizer. É difícil não achar essa mulher bonita. Precisa ser meio xaropão ou meio gay pra reclamar de algo nela. E se você vier contestar a baixa estatura e a leeeeeve rexonxudez da qual ela sofre (algo que as pessoas sempre exageram), saiba que você só está sendo caloricamente chato. Pra mim é apenas mais uma vantagem. Afinal, como dizia o rei:


Rola mais Amy? Rola:









3º lugar - Lita Ford


Mais uma ex-Runaways na lista. Lita foi a guitarrista principal da banda e, assim como maior parte das ex integrantes, seguiu uma carreira solo de sucesso após a separação. Piradona que só ela, Lithénha já se pegou com Tony Iommy (do Black Sabbath), e com Jim Gillete, vocalista da banda Nitro com o qual foi casada até 2011, quando teve um divórcio conturbado que envolvia até acusações de agressões por parte de seus filhos (incentivados pelo pai, segundo ela). Iria participar de um reallity show a-lá The Osborns envolvendo sua família, o que acabou não acontecendo por causa do tal divórcio. Uma pena, pois como eu disse, a-do-go reallitys (ainda vou procurar ajuda por causa disso, galera).
Também é outra que envelheceu bem pra porra, e hoje tá aí ainda em atividade exibindo suas excitantes semi-pelancas nos palcos da vida. De natureza rebelde e exibicionista, Lili sempre usou e abusou de sua imagem pra ajudar a vender sua carreira, tanto que não é nada difícil achar imagens dela sensualizando em cima de uma guitarra ou dando declarações safadas em entrevistas. Sério, dá uma olhada nessa entrevista que ela deu em 2010 pra uma revista. Bizarro é O MÍNIMO que se pode dizer disso! Se for maior de 18, dê uma lida aqui e choque-se.
A despeito disso, continua sendo lindíssima e uma de minhas favoritas. Desce mais Lita aê!





Bela guitarra


2º lugar - Otep Shamaya





Shamynha por muito tempo ocupou o primeiro lugar no meu corazon, não só na lista das rockstars mais belas como das minhas mulheres favoritas em geral. O fato dela ser assumidamente lésbica, ao contrário do que parece, mais ajudou minha admiração por ela do que atrapalhou (afinal, se eu não à terei, todos os outros cuecas do universo estão empatados comigo!). Ter descido um degrau no pedestal das minhas fantasias depois de tanto tempo no topo é a aglomeração de alguns fatores diferentes, que não interessa falar agora. O que interessa é que, a despeito dela ter obtido uns cacoetes meio chatos, como chamar seus fãs de tribo, ter engordado um pouco, se portar cada vez mais masculinamente e, o que em minha opinião foi seu maior erro, ter cortado o cabelo, minha admiração por ela nunca diminuiu. Shamynha sempre foi uma mulher de atitude, super engajada nas causas animais, o que adoro em uma mulher (em seres humanos em geral), políticas, sobre casamento gay, etc. Esse engajamento todo pode até parecer chato em algumas pessoas (*coff, coff*, Bono, *coff, coff*, Vox, *coff, coff*, maldita tuberculose!), mas olha só o rostinho angelical dessa garota contrastando perfeitamente com suas sensuais tatuagens. Quais as chances em percentagem de você achá-la chata?? Se sua resposta foi acima de -2958 %, se jogue às hienas.





1º lugar - Cristina Scabbia



E enfim chegamos ao pico das estrelas. Sim. Cristininha. She’s the one. Ela, que por muito tempo ocupou o segundo lugar na minha lista de delírios roqueiros molhados, há alguns anos pulou para o primeiro lugar e lá permanece até hoje. E, falando sério, eu sou fã de Lacuna Coil independente de eles terem uma vocalista fodônicamente, orgasticamente, subliminarmente estonteante. Mas novamente estarei mentindo se disser que fico vendo trechos de shows e clipes da banda so por causa daqueles caras barbados ao redor dela.
Nascida em Milão, Tina começou no Lacuna Coil como becking vocals, mas não demorou muito para perceberem que seu enorme talento vocal deveria ganhar muito mais espaço na banda, e logo passou a dividir os vocais principais com Andrea Ferro (pra mim, deveria ficar como vocal solo, ao invés de dividir com a voz sem graça do Ferro, mas não desviemos do foco).
Além de cantora, ela é colunista da revista de rock Revolver, e atualmente é noiva de James Root, guitarrista do Slipknot e Stone Sour (tô preparando já minhas mandingas aqui pra essa palhaçada desde já...). Aliás, não que tenha sido o motivo principal deste post, mas morreu de colar a data do meu retorno com a ocasião, então nada mais justo do que prestar essa singela homenagem ao aniversário de quarenta aninhos da Cristininha que acontece exatamente hoje (dia 6). Parabéns a ela! E quem ganha o presente somos nós, com mais algumas fotos dessa deusa! Dá uma olhada aí me dê o mínimo de razão, pelamordedeus!!












Não posso terminar sem mencionar honrosamente algumas outras musas do rock que também admiro esteticamente (e várias delas artisticamente): Brody Dalle, Tarja Turunen, D’arcy Wretzky, Vibeke Stene, Shirley Manson, Doro Persch, Gwen Stefani, Alissa White-Gluz, Kim Gordon, André Matos, etc. Vocês quase chegaram lá.

E é isso. Espero que tenham gostado. Foi divertido voltar a escrever. Mais uma vez desculpem o atraso. A verdade é que ano passado eu fiquei oito meses desempregado, então tinha muito tempo livre. Agora as coisas estão beeem diferentes, e tendem a ficar mais apertadas ainda. Mesmo assim vou tentar não ficar mais tanto tempo ausente (vou TEN-TAR).

E quanto a vocês, quais suas musas favoritas do rock??


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...