terça-feira, 2 de agosto de 2011

Os dez melhores episódios de Caverna do Dragão



Olá, amégos! Bom, como vocês já devem ter percebido, sou um viciado em desenhos animados. Mas se não perceberam, tudo bem. É sinal de que não me conhecem pessoalmente, o que é perfeitamente normal, já que eu sou um ser das sombras que vive sozinho em um trailer sujo e bagunçado localizado numa praia deserta, onde passo o dia me entupindo de whisky barato e cigarros Free. Ok, é mentira. Mas se esse fosse realmente meu ambiente, combinaria mais com minha personalidade.
Mas não estamos aqui para falar de mim, e sim de Caverna do Dragão! Sim, este que foi o melhor desenho americano dos anos oitenta e fez e faz a cabeça de muita gente ainda, inclusive a minha. Produzido entre 1983 e 1986 pela Marvel Films em parceria com a Dungeons & Dragons Corp., o cartoon, baseado no RPG Dungeons & Dragons e que conta a história de seis crianças que foram parar por acidente em um mundo mágico chamado O Reino (podia ser um nome mais criativo, eu sei) e passam a série inteira tentando voltar para casa, ganhou três temporadas e um final inconcluso, já que o último episódio nunca saiu do papel. Tal fato só aumentou a popularidade da série, pois muitos rumores continuam rolando até hoje à respeito de como seria o verdadeiro final. Rumores esses que já deram no saco! Sério, não me venha falar que eles morreram e foram para o inferno, que o Vingador e o Mestre dos Magos são um só ser e o Tiamat é um anjo, blá, blá blá. Porra! Para de ser cachorro e baixa o roteiro original, cacete!
CdD se diferenciou por ser um desenho mais sombrio e inteligente que qualquer outro de sua época, com personagens extremamente humanos e uma trama muito bem elaborada.
Então resolvi eleger aqui os dez episódios mais legais da série. Na minha humilde opinião, claro. De início eu iria listá-los em ordem decrescente do menos melhor ao melhor, mas acho que nenhum merece o primeiro lugar (não me pergunte), então resolvi fazer uma lista aleatória mesmo. So here we go!

A noite sem amanhã


Meio que patetando em cima de uma colina, os garotos perdidos acabam acordando Tiamat com gritos para testar o eco do lugar. Mas claro que uma dragoa (Sim, Tiamat é menina, apesar da dublagem brasileira não tratá-la como tal) gigante de cinco cabeças não representa grande perigo para seis crianças recém iniciadas nas artes medievais, e elas se livram do bichão rapidoles. Logo em seguida eles se deparam com o Mestre dos Magos, que lhes indica o caminho da cidade de Eliques (ou algo assim), onde poderão achar alguma coisa que os leve de volta para seu mundo.
O primeiro episódio da série tem todos os elementos típicos que se veriam à seguir: As piadinhas mal humoradas de Eric, as mágicas desastradas de Presto, a irônia de Diana, um encontro dos heróis e de Vingador com Tiamat (em uma das poucas vezes em que aparece na série), batalhinhas épicas e um final engraçado, com direito também a um Merlin fajuto e Sheila pagando calcinha, algo que se repetiria no episódio O Salão dos Ossos. E você achando que só animes tinham fanservice, heim...
Os mais desavisados se confundem quanto à este ser mesmo o primeiro episódio, já que tudo está estabelecido e os personagens familiarizados entre si. Mas a explicação para a origem da história está na abertura do desenho (mesmo assim teria sido melhor um episódio inicial). Ou seja, pode-se dizer que CdD é um desenho sem começo nem fim.

O tesouro de Tardos

Vingador achando que foi picado por uma aranha radioativa.

Dessa vez, o Mestre dos Magos diz aos garotos que logo terão que enfrentar um ser muito poderoso, que pode impedir para sempre sua volta para casa. A tal criatura se chama Demo-dragão, que é a mistura de demônio com dragão (Não, Bruno! É a mistura do Barney com a Sandy!). Para vencê-lo, as crianças deverão buscar auxílio na cidade de Tardos, que fica além da Terra do Pó (também conhecida como Cracolândia). Em Tardos, a turma terá que encontrar a única forma de destruir o Demo-dragão, que consiste em uma erva rara e lendária, muito procurada pelo Vingador e por Marcelo D2. Quando o Demo-dragão se torna incontrolável, o inesperado acontece: Os garotos unem forças com o Vingador para destruir o bicho.
O episódio vale principalmente pelo final surpreendente, quando o Mestre dos Magos mostra um pouco sua humanidade e faz uma quase-revelação sobre o Vingador, deixando crianças, nerds e cachorros de rua ao redor do mundo com a pulga atrás da orelha.

Apagando-se o tempo


Ao serem atacadas por um dragão, as crianças são surpreendidas por um moderno avião de guerra, que logo é raptado pelo Vingador junto com seu piloto. Logo outro avião cai no Reino e a turma conhece seu piloto, Yosef Müller, que deve ser meu parente distante. Acontece que Yosef é do partido nazista, e foi trazido lá da Alemanha dos anos quarenta pelo Vingador através do Portal de Cronos, que pode trazer pessoas e coisas de outros mundos e de outras épocas. O intuito do vilão é dar à Yosef um avião ultramoderno, fazendo com que a Alemanha vença a Segunda Guerra para assim mudar o passado de nosso planeta, fazendo com que as crianças nunca tenham existido. O irmão gêmeo mau do Dr. Emmett Brown ficaria orgulhoso deste plano.

Um episódio meio patriota. É interessante ver a reação das crianças ao terem contato com um nazista, o dilema de Yosef entre o bem e o mal e a referência que o episódio faz ao partido de Hitler. Tudo é feito com muita sutileza, com a suástica alterada para uma simples cruz e nenhuma palavra como ‘nazismo’ e ‘Hitler’ sendo citadas. Nada parecido com a bizarra referência feita por Solbrain ao nazismo, no episódio que fez com que muitos pais vomitassem seus intestinos grossos ao verem seus filhos assistindo aquilo.


O cemitério dos dragões

Tiamat, que consegue a incrível façanha de voar sem bater as asas, a danada.

Quando estão prestes a saírem do Reino por um portal, o Vingador destrói tal saída (sério mesmo??), estragando a festa das crianças. Cansados das pentelhices do mono-chifrudo, a turma toma a radical decisão de se unir ao único ser que o Vingador teme para destruí-lo: Tiamat. Mesmo sendo contra, o Mestre dos Magos lhes diz que o dragão se encontra no cemitério dos dragões, lugar onde surgiram suas armas mágicas e onde as mesmas têm o poder ampliado.

O episódio foca no cansaço e na desesperança das crianças por não conseguirem voltar para casa, principalmente Bobby, que demonstra um ódio fora do comum pelo Vingador. Em certo ponto, Hank diz ao garoto: “Bobby, eu estou preocupado com você. Uma criança da sua idade não deveria odiar tanto alguém.” É de dar arrepios.
Também presenciamos o dilema dos garotos em corromperem suas jovens almas tomando atitudes cruéis devido à situação limite em que se encontram. E em uma cena o Mestre dos Magos se refere ao Vingador como “meu filho”. Seria só força de expressão? Ou uma pista de algum segredo ainda não revelado?? Mistééééééério...


O portal do amanhecer

“Certo, Hank. Sua próstata está ok. Podemos ir embora agora?”

A mando do Mestre dos Magos, os garotos pegam uma caixa em um castelo abandonado, mas Eric comete a burrice de abri-la, liberando um ser mais poderoso do que qualquer outro que eles já enfrentaram, cuja forma não pode ser definida e o nome não pode ser pronunciado (meda!). O tal ser que se apresenta na forma de uma tempestade e solta grunhidos aterrorizantes é dono de vários universos, mas deseja dominar todo o cosmos (e provavelmente o sétimo sentido). Pretensioso, o rapaz. Enquanto isso, o Vingador parece já ter tido alguma relação não-gay com tal criatura, embora também a tema.
Como de praxe, os melhores episódios de Caverna são os mais sombrios, e este aqui, que abre a terceira temporada com chave de ouro, é um dos mais. Os protagonistas tentam fugir daquele ‘cujo nome não pode ser pronunciado’ com o auxílio do Mestre dos Magos, que pela primeira vez faz alguma coisa útil além de aparecer do nada e tagarelar em seus ataques de Obi Wan Kenobi, embora isso lhe custe seus poderes e talvez sua vida.
Aqui o desenho já se encontrava em sua reta final, onde a animação já estava levemente diferente e inclusive metade da dublagem brasileira havia mudado, dando ao Vingador uma voz mais bizonha (ainda que pelo mesmo dublador) que a de dez Christian Bales fazendo o Batman.

A Cidadela da Sombra


Sheila experimentando coisas novas


Após pegarem um misterioso anel na casa do cão a mando do Mestre dos Magos, a turminha é avisada pelo nanico que deverão unir tal bijuteria a outro anel, que se encontra na Cidadela da Sombra. Ao perguntarem como encontrarão tal lugar, o Mestre responde “terão que seguir seus corações”. Se vocês acham essa a resposta mais cretina do mundo, temos algo em comum. Enquanto seus colegas dormem em uma estranha colina após terem fugido de alguns orcs, Sheila ouve uma voz feminina pedindo por socorro. É Karena, uma doce garota que lhe pede ajuda para recuperar seu anel na Cidadela da Sombra. Só que Karena depois se revela como ninguém menos que A IRMÃ DO DESTRUIDOR! Digo... do Demolidor... digo, do Vingador. Inclusive tem uma roupa parecida com a dele (mas sem o chifre) e igualmente não é flor que se cheire.
Enquanto todos os outros personagens tentam pegar o anel a todo custo, provando que existe um Gollum dentro de cada um de nós, Sheila faz uma burrada atrás da outra, o que faz com que Eric não poupe seu sarcasmo e grosseria em relação à ruivinha, já que o rapaz é muito malino (é, eu sou das antigas). Falando nisso, acho que o episódio vale principalmente por ser o mais inspirado nos diálogos. Eric está todo trabalhado nas piadinhas. É uma tirada melhor que a outra. Em um momento onde a turma está recebendo uma chuva de pedras enormes, Eric solta a pérola “Acho que nós deveríamos entrar para o ramo de pedras de jardim”. Não sei por que diabos eu sempre riu só de lembrar dessa merda. Como diria João Kleber assistindo uma de suas pegadinhas: “Hi, hi, hi, hi! Bem bolado, bem bolado, bem bolado.”

A garota que sonhava com o amanhã


Em suas andanças pelo Reino, as crianças encontram um carro de túnel do terror igual ao que os levou ao local, e logo em seguida se deparam com uma garota da idade de Bobby chamada Terry correndo perigo nas mãos dos Bulliwogs. Após salvá-la, a turma descobre que a garota veio parar no reino do mesmo jeito que eles. Além disso, a pentelha ainda tem o poder de sonhar com o futuro. Então vai pro seriado Heroes, cacete! Claro que o Vingador (que é primo de segundo grau do Mun-há e do Coração Gelado) fica de olho gordo em cima dos poderes da menina, interesseiro que só ele. Enquanto isso, a molecada tem que atravessar o Labirinto das Trevas para chegar a um portal que os levará de volta para casa (sei).
Um episódio muito bem inspirado, com direito a uma cena tensa dentro do labirinto amaldiçoado, onde os protagonistas sofrem uma espécie de lavagem cerebral the flash e enfrentam uns aos outros, e também um final que, se é uma espécie de spoiler do final da série, ao mesmo tempo nos brinda com uma beleza quase poética e uma faísca de esperança para as desgastadas crianças. E acho que tô levando desenhos à sério demais...

A caixa


A molecada encontra meio que sem querer uma caixa misteriosa (é, outra caixa), então o Mestre dos Magos aparece e lhes diz que é a caixa de Zandora (sacaram o trocadilho esperto?), uma antiga feiticeira do bem que há muitos anos foi banida pelo Vingador para outro mundo. O único meio de libertá-la é levar a tal caixa à montanha da Caveira e posicioná-la lá ao meio-dia, o que não só trará a feiticeira de volta como levará os garotos finalmente para casa (risos da platéia). A caixa, dependendo de onde e quando é posicionada, pode levar as pessoas a diferentes mundos.
Este episódio é sensacional, e um dos que mais causam aflição, pois as crianças finalmente conseguem voltar para seu mundo, mas como são acompanhadas pelo Vingador, se sentem obrigadas a retornar ao Reino, caso contrário o vilão destruiria a Terra. O confronto dos jovens contra Vingador no parque de diversões é muito massa, e Eric, mais uma vez, está inspirado como nunca com suas piadas (Alguém ainda duvida que ele seja a grande estrela do desenho?). Enfim, o episódio beira à genialidade.
É, acho que eu preciso sair um pouco do meu trailer imaginário e imundo...

O traidor

“Com licença, é neste andar o concurso de fantasia mais idiota?"


Ao ser atacada pelos Orcs, a turma do barulho é salva pelos Ursinhos Amigos, seres meigos e peludos que vivem em comunidades nos topos de altas árvores. Qualquer semelhança com os Ewoks do filme O Retorno de Jedi (ou do filme A Caravana da Coragem, que Deus me tenha) é mera picaretagem/homenagem dos roteiristas.
Tais ursinhos também possuem amuletos que podem ser letais ao Vingador.
Ao descer das árvores para salvar Hank e seu irmão Bobby, que permaneceram lá embaixo, Sheila (não comentei ainda, mas a Sheila é um pitelzinho! Ui! Ui! Ui! Que foi?? Ela já tem mais de quarenta hoje em dia!!) descobre Hank conversando com um Orc e deduz que o rapaz os traiu o passou para o lado do Vingador, tendo entregue Bobby à ele.
Esse episódio é de estourar a tanga! Vemos aqui a total desilusão dos outros jovens perante a suposta traição de Hank, que era justamente o líder do grupo e outrora seu membro mais confiável, no qual todos se espelhavam e inspiravam. É a primeira vez, inclusive, que Sheila demonstra sentimentos duros em relação à Hank, e sente vontade até de bater em seu namoradinho virtual. Hank também entra em conflito existencial, só agravado pelo blá, blá, blá do Mestre dos Magos.
É um episódio que nos faz filosofar sobre a vida, nossos sentimentos, o valor da amizade... DEUS! DEFINITIVAMENTE PRECISO CONHECER OUTROS SERES HUMANOS!!!



Requiem

Vingador faz um desafio ao Mestre dos Magos: Se ele parar de proteger as crianças e elas conseguirem passar por um teste por mérito próprio, ele as deixa ir para casa. Caso o contrário, ele tirará as armas e a vida dos pupilos do Mestre. Sozinhos e mais desamparados do que nunca com o suposto abandono do Mestre dos Magos, os garotos recebem a surpreendente e duvidosa ajuda do Vingador, que lhes indica o caminho da fronteira do Reino, onde encontrarão uma chave dentro de uma tumba, chave esta que deverão jogar no abismo, o que garantirá sua passagem para casa. Mesmo seguindo para o mesmo local, o grupo se divide, com Eric, Sheila e Presto (que resolveram seguir o conselho do Vingador) para um lado e Hank, Diana, Bobby e Uni para outro.
Este é o famoso vigésimo oitavo e último episódio de CdD que nunca foi filmado, restando apenas o roteiro na internet para os fãs. É o episódio mais denso e revelador de todos. Praticamente não há espaço para o humor, exceto em algumas boas falas, como quando Presto, em perigo, solta: “Onde está Steve McQueen quando precisamos dele?”. O epílogo da série foca principalmente nos conflitos entre as crianças, com o grupo liderado por Eric e o liderado por Hank guerreando entre si, e pondo à prova sua amizade e fidelidade. Pouquíssimas vezes se vê algo tão dramático e inteligente em um desenho infantil. E o fato de terminar meio em aberto só o torna ainda melhor, embora nunca tenha acontecido uma quarta temporada. Enfim, o final da série é bastante convincente, bem elaborado e muito emocionante. Quase chorei lendo e... e...
.
.
.
.
.
.
Cadê aquele catálogo de prostitutas que eu larguei em algum lugar, heim????



12 comentários:

  1. *com o catalago de prostitutas em mao*hehe...sucker..
    ótimo artigo,eu diria.
    Concordo em tudo,a respeito de caverna do dragão.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da lista, mas só achei que faltou aquele episódio em que eles lutam contra o Beholder, e o matam usando uma fuckin' flor! heuAHEuaHEuAHEUhaUEHuAE!!! Nesse mesmo episódio eles só não voltam pra casa por causa daquele unicórnio maldito! ¬¬

    No mais, ótimo artigo!

    ResponderExcluir
  3. Prepare-se Para O Testamento

    A parada do Solbrain é bizarra.

    Mas não se esqueça que uma certa Patrine lutou contra o espírito de um Napoleão japonês e que o Jaspion já teve um vilão Lagosta-Cozinheira e um monstro dançarino com um papel escrito "paraíso" na testa.

    Enfim... pow, agora vc me pegou, cara (e tira a mão daí), eu me amarro em CdD. Tudo bem q ficou faltando (odeio qndo fazem isso nas minhas listas, então qro saber ql é a sensação), pra mim, o episódio de uma masmorra que ficava na boca de um vulcão, tem um outro tb q o Eric vira um homem-sapo q é engraçado pacacete, um outro que eles lutam num pântano de mortos-vivos q eu acho foda, enfim... é mta coisa q poderia entrar na lista automaticamente pondo outra de fora (guarda isso, rapá).

    Não sei se é algum destes q tu postou, mas tem um outro q eles se dividem num castelo (acho) e cada um faz um desafio meio-ilusão ligado aos medos de cada um (é mto foda, apesar de clichê).

    Eu li o episódio final verdadeiro na Dragão Brasil e eu achei ma-ga-vi-lho-so (aloka). A frase do Presto é mto foda, e assistir a luta entre eles seria fodaço, mas também bastante agoniante, não consigo imaginá-los em guerra, a amizade deles é muito verdadeira.

    O meu preferido hoje em dia é o Presto, mas como toda criança queria ser o fodão, meu favorito já foi o Hank (q é um grande personagem qndo é bem desenvolvido) e eu vivia dizendo pra uma menina q a gente brincava de ser a Sheila q os dois eram namorados... nunca colou =/

    Já tá ficando grande isso aqui (pensamentos puros, pensamentos puros, pensamentos puros...), então é melhor acabar.

    Valeu cara, post divertido e muito agradável de ler tb. Sugiro q faça uma lista sobre qualquer coisa do Thundercats.

    Abçs (e malz pelo coment gigante)

    ResponderExcluir
  4. Fala Warnius! Valew cara!

    Pedrinho, esse episódio q você falou acho que é o segundo. É muito bom mesmo. E a Uni... ai, ai, esses mascotes inuteis, irritantes e "necessários" dos desenhos oitentistas...

    Márcio, esse episódio de Jaspion eu lembro bem, mas o da Patrine não, pois faz tempo que nao vejo (acho q isso deve ser bom).
    Realmente muito episódio ficou de fora, mas foram muitos episódios bons. Esse que o Eric fica com cara de sapo (A bela e a fera do pantano), inclusive, eu quase coloquei na lista, mas coloquei A cidadela da sombra no lugar de ultima hora.
    Mas td bem comentar a lista, lista nenhuma é perfeita (à nao ser pra quem a faz).
    Nunca tentei essa tática da Sheila. Será que tento agora?? humm, se bem que brincar de Caverna do Dragão no alto dos meus 25 anos seria o fim. Melhor não.
    Penso em fazer um post sobre Thundercats um dia, mas terei que assistir de novo (porra, esse tem episódios pra cacete!), pois é outro q faz tempo que não vejo. Valeu pelos elogios, man.

    ResponderExcluir
  5. Ah, mas mesmo tendo uma porrada de episódios, é só ignorar a fase dos robôs-ursos-de-pelúcia pra frente.

    ResponderExcluir
  6. Olá Bruno! Obrigado pela "audiência" no Cyberclube! Legal o seu blog! Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruno!

    CAVERNA DO DRGÃO!
    Eu Adoro esse desenho! Um clássico, quem nunca assistiu não teve infância! E essa teoria do final que é a mais divulgada...bom não podemos dizer que não é criativa mas claro que não tem nada á ver com o original e coisa e talz...
    Bom, deixa eu comentar cada episódio:

    - Seria memso o primeiro capitulo? Hum...nossa juro que não imaginava que CDD tivessse fan service =p

    - A revelação do Mestre dos Magos acerca do Vingador..sim...isso me chocou e me deixou com a dúvida até hoje...é melhor chamar o Programa do Ratinho!

    - Não e recordo desse episódio "nazista' mas vou pesquisar...vale lembrar que naquela época ainda não colocavam a suática nos desdenhos..recentemente o anime/ova de Hellsing coloca o que é interessante.

    -Para mim o Vingador é filho do Mestre dos Magos sim! Todas as dúvidas seriam respondidas se essa afirmação fosse oficial.

    - Seria esse "ser nao nomeado" uma refeência á Lúcifer? Hum...faria sentido.

    - O Erci e suas ironias sempre foi o que havia melhor na série. Fato.

    - Sobre o episódio..não você não está se iludindo..eu também vi algo poético nesse episódio =p

    - Eu adorava o episódio da Caixa...sério, quando eles voltam ao mundo e não podem ficar...é demais.

    - Tá..você exagerou no eosódio focado no Hank...mas aqueles ursinhos são gays...

    - E eternamente ficaremos sem o final...


    Eu também estou cada vez mais chata para filmes..para você ter idéia dos filmes recentes o que mais gostei ate agora foi Cisne Negro..os outros sempre achei que deixaram a desejar.
    Eu acabei vendo A Garota da Capa Vermelha pensando que era uma outra coisa...quandi vi o nome da diretora até pensei em desistir mas vi mesmo assim. Me arrependi e para não ter sido tempo perdido, optei por fazer a resenha rs.
    E...você conhece esses contos que passavam na tv Cultura/ Rapaz, eu AMAVA aquilo!!! Sério, a TV Cultura fez a minha infância! Aqueles contos não eram totalmente infantis não, eram muito legais e se assemelhavam mais com as obras originais(lembro que no conto da Pequena Sereia, eles foram fiéis á obra de Hans Cristian Andersen). Estou ansiosa para que você mencione esse programa no seu blog!

    Eu também queria filmes baseados nas versões originais dos contos de fada, com aquela morbidez, crueldade e alegorias que te deixam traumatizados kkkk.
    bjs!!

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Eddie! Valew cara, seu blog tb é muito bom!

    Oi Tsu! Então, A noite sem amanhã é sim oficialmetne o primeiro capítulo.
    He, sem dúvida o Eric foi o melhor. Gosto mais dele também porque é, de longe, o personagem de CdD com o qual mais me pareço.
    E o episódio Requiem que eu citei é realmente o último! O roteirro dele quie rola na net é oficial e foi escrito pelo roteirista Michael Reaves e liberado na web há alguns anos. O Vingador é sim filho do Mestre dos Magos e o Reino é uma prisão de vários mundos. O roteiro vc pode ler aqui: http://sites.levelupgames.com.br/FORUM/RFONLINE/forums/p/175800/1531260.aspx

    Pois é, logo falarei de Contos de Fadas. Eu achava o máximo quando criança (ainda acho), tinha uns episódios que relamente chegavam a dar medo (o da rapunzel, por exemplo, era bizarro).

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruno!
    Nem me fale em lista de coisas para ver1 Minha lista é imensa e nem sei por onde começar! rs.
    Então eu lembro que havia realmente esse roteiro mas lembro que li também um em que o final era exatamente esse...um final aberto e óbvio...muito bom. E sim, nem precisou de teste de DNA do Ratinho kkkk.
    Nossa nos Contos de Fada tinha uns capitulos sinistros..tinha um de um castelo com fantasmas que parecia coisa do Allan Poe! Poste logo seu artigo sobre!
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Bem que eu me lembrava dessa série como um pouco mais sombria do que a maioria das outras. Eu sentia pena da criançada por eles nunca conseguirem voltar ao mundo deles.

    De qualquer maneira esse desenho fez parte da minha infância e trago algumas lembranças boas dele.

    ResponderExcluir
  11. Concordei com todos! E achei muito legal você não ter dado posições aos episódios. Todos são igualmente muito bons.
    O meu favorito da lista é do Cemitério dos Dragões. Mas concordo de todos esses são igualmente impactantes. Excelente Post!

    ResponderExcluir
  12. olha se for pra colocar essas imagens incompletas do desenho do personagen é melhor vcs não perderem seu tempo!!!!!!!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...